Já sabemos que as vantagens oferecidas por esta plataforma são inúmeras, mas que tal montarmos o nosso próprio Arduino? E por que fazer isto? Ora, além de ser bastante gratificante ver seu projeto rodando em uma breadboard isto traz muitas possibilidades.

O custo de produção de uma versão standalone é menor se comparado a compra do Arduino tradicional. Graças a miniaturização da placa podemos embuti-la em projetos que exigem pouco espaço e a sensação de que “sou um máximo” vai perdurar por vários dias, rs.

Close dos componentes do Arduino Standalone

Lista dos componentes

  • 1 Breadboard
  • 1 Chip Atmel Atmega328
  • 2 Capacitores cerâmicos de 22pf
  • 1 Cristal de 16Mhz
  • 1 Resitor de 10K
  • 1 Push buttom
  • 1 Resistor de 330Ohms (opcional)
  • 1 LED (opcional)
  • Alguns cabinhos para fazer as conexões entre os componentes

+ veja em detalhe todos eles

Antes de começar a montagem devemos consultar o pin mapping do Atmega328. Ele vai ser útil para a identificação dos pinos. O passo a passo abaixo parece ser complicado, mas para facilitar as coisas cada etapa possui uma imagem. Vamos à montagem!

Passo a passo

  1. Encaixe o Atmega328 no centro da breadboard de modo que o lado com o pino #1  (marcado com uma bolinha em baixo relevo) do chip fique com o espaço de uma coluna do início da breadboard.
  2. Insira os Capacitores no lado oposto do pino #1, nas duas últimas colunas da breadboard. Importante lembrar que eles irão usar o mesmo polo negativo, por isso tem uma das perninhas inseridas no mesmo pino.
  3. A função dos capacitores é alimentar o Cristal, então o coloque na diagonal para compartilhar a mesma coluna (trilha) dos capacitores. Ele deve ficar na banda do pino #1 na breadboard.
  4. O Resistor de 10K é a interface entre o pólo positivo e o pino #1. Ele evita que haja um curto sempre que o push button for pressionado. O pólo positivo é o pino #7 (VCC) do chip.
  5. O Push button será o reset da nossa placa. Ele deve ser conectado no início da breadboard. Uma perninha na primeira trilha e a outra no pino #1.
  6. O Resistor de 330Ohms vai do pino #19 (Digital Pin 13) até a perna positiva da nossa LED na penúltima trilha da breadboard.
  7. A LED possui polaridade, para identificar o lado positivo basta observar qual perninha é a mais longa. Desta forma, encaixe a perninha positiva na trilha do resistor de 330Ohms. A LED deve ficar nas duas últimas colunas da breadboard, na banda oposta ao pino #1.
  8. Por fim temos os Cabinhos, eles vão conectar nossos componentes aos pinos do Atmega328.

Detalhe das etapas

Veja no que deu

Arduino standalone

+ mais fotos do standalone

É claro que existem outras formas de disposição dos componentes na breadboard, o importante é encontrar uma forma de deixá-los bem organizados.

E agora, como se divertir?

Duas questões são importantes aqui. A primeira delas é o fornecimento de energia e a segunda é a programação do Arduino.

Alimentação: O Atmega328 trabalha com uma voltagem de 1.8 até 5.5v, recomenda-se utilizar um regulador de tensão de 3.3 ou 5v (LM7805), assim você poderá utilizar baterias de 9v, por exemplo. Energizar o standalone é simples, basta ligar o positivo e o negativo, vindos do regulador a um dos pinos laranja e preto, respectivamente.

Programação: Para fazer o upload de um sketch (algoritmo) para o Arduino standalone é necessário uma interface USB, normalmente uma placa com circuito integrado FTDI, mas dá pra fazer este processo usando um Arduino tradicional, basta retirar o Atmega328 da placa com auxilio de uma pinça, gravar e depois usá-lo no standalone.

Pronto, agora você esta apto a produzir dezenas de placas standalone, legal né?

About Isaias Coelho

Analista de Sistemas por formação e Programador de Interface por profissão, agora tô aqui escrevendo sobre Arduino...

Related Posts: